Na Itália: Islâmica foi presa por espancar filha que não queria usar o véu

Mulher islâmica utilizavas uma colher de sopa para espancar a filha

Uma mulher islâmica de 31 anos foi presa em Milão, na Itália, após sua filha de 15 anos confessar a um professor que sua mãe a espancava por se recusar a utilizar o véu islâmico e conversar com colegas de escola. A mulher também proibiu a filha de sair de casa por 3 (três) dias, enquanto visitava parentes no Egito, de onde se mudaram em 2017.

A estudante desmaiou no colégio e foi interpelada por um professor, após se recuperar, contando tudo que sua mãe fazia com ela e seu irmão. São anos de tortura física e psicológica, inclusive tendo de dormir no chão quando o companheiro da mãe está na casa. Por ter usado o único banheiro da casa ao mesmo tempo que o irmão, ambos foram forçados a a ficarem descalços perto da janela aberta, em pleno inverno, e a assistir filmes de punições islâmicas a incestuosos, além de ameaças constantes de enviar ela e o irmão de volta ao Egito para serem mortos por seus tios.

LeiaMais

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO
ANÚNCIO

A mãe diz que a filha mente devido aos maus tratos que sofreu do pai, preso há alguns anos por causa disso, e estar numa época de “rebeldia adolescente”. Ainda afirma que como a repercussão da suposta mentira teria sido muito grande, a filha não teria agora a coragem de admitir que mentiu, dadas as implicações legais.

Para o juiz do caso, a situação poderia causar danos irreversíveis aos adolescentes se não ocorresse a intervenção externa da autoridade judicial. O magistrado ainda afirma que o dano psicológico veio mesmo antes do dano físico, devido à repressão excessiva imposta sistematicamente à formação da personalidade da menina.


Nos ajude a construir uma mídia independente, apoie o S1N7ESE e receba recompensas e vantagens por isso: clique aqui!


Fonte: Corriere Della Siera

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário
avatar
1000
  Se inscrever  
Notificação de
Próximo post