Grande Mídia americana se recusa a anunciar filme crítico ao Planned Parenthood

Filme também recebeu classificação de Restrito da MPAA

O filme ‘Unplanned’ conta a história da ex-diretora clínica do Planned Parenthood e atualmente ativista pró-vida americana, Abby Johnson, mas seus anúncios foram recusados por quase todos os grandes veículos de mídia americanos, como a Discovery Corporation, com exceção da Fox News, enquanto a Motion Picture Association of America (MPAA) deu classificação R (Restrito) ao filme pró-vida.

A Planned Parenthood é uma organização fundada pela feminista americana Margaret Sanger, Democrata e filiada à ala feminina da organização racista Ku Klux Klan. Segundo Sanger a função de sua organização é promover a eliminação dos negros e indivíduos deficientes, para obter uma “raça perfeita”, “pura”. Sua defesa da eugenia e da eliminação a população negra americana pode ser encontrada principalmente em suas obras, como os livros “Woman and the New Race” e “The Pivot of Civilization”.

LeiaMais

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO
ANÚNCIO

Empresas como o Burger King, a MAC Cosmetics, Starbucks, Coca-Cola, Grupo Unilever, entre outras, além de quase toda grande mídia americana, o Partido Democrata e seus membros, e organizações como a Fundação Rockfeller, Fundação Ford, Fundação Clinton, Open Society, Fundação Bill & Melinda Gates e a Federação Internacional de Ginecologia e Obstetrícia (FIGO) apóiam e repassam recursos a Planned Parenthood.

Apesar do filme não conter cenas fortes que justifiquem a classificação R, recebeu a mesma assim mesmo, enquanto a MPAA – composta pelos grandes estúdios de Hollywood, apoiadores da Planned Parenthood – raramente classifica como Restrito filmes com cenas de sexo explícito e temas progressistas.

Mesmo com todo esse boicote e censura explícitos, ‘Unplanned’ será exibido em mais de 1 mil salas de cinema nos Estados Unidos da América (EUA). A censura a produções culturais pró-vida não é novidade, tendo ocorrido o mesmo na França há alguns anos, quando uma campanha pedindo às mães para que não abortassem seus filhos com síndrome de down foi proibida pelo governo francês, sob alegação de constrangimento às mães que fizeram tal procedimento.

Trailer do filme:

CONTINUA DEPOIS DO ANÚNCIO
ANÚNCIO

Nos ajude a construir uma mídia independente, apoie o S1N7ESE e receba recompensas e vantagens por isso: clique aqui!


Fontes: Washington Examiner Infowars

Conteúdo relacionado

Deixe um comentário
avatar
1000
  Se inscrever  
Notificação de
Próximo post